SEOPA Joao Martinho OFICIAL 2017

SEOPA

O que é SEO?

joao-martinho-seopa-afiliadosSEO é, semanticamente, a sigla para a expressão em inglês Search Engine Optimization (tradução literal = Otimização para mecanismos de busca). SEOPA

Tecnicamente, SEO é o conjunto de ações que donos de páginas na internet precisam fazer para que seus sites apareçam na primeira página de resultados das buscas no Google.

Falamos do Google, pois é o buscador mais conhecido e que tem maior relevância, mas existem outros como o Bing, o Yahoo e o Youtube (sim! É o segundo buscador, ficando atrás apenas do Google).

E, para cada um deles, os parâmetros para mostragem de resultados é diferente. Assim, se um dono de página na internet quiser que sua página apareça em todos os buscadores, terá que escolher alguns parâmetros em detrimento de outros, de acordo com cada uma das plataformas, e dificilmente conseguirá colocar sua página no mesmo lugar em todos eles.

Entendendo o SEO corretamente

Com o surgimento do marketing digital, o SEO passou a ser uma preocupação a mais para os desenvolvedores de sites e também para os profissionais que oferecem serviços de produção de conteúdo.

Isso se dá, pois o conjunto de parâmetros para otimizar as páginas web, envolve requisitos “on page” (dentro da página) e “off page” (fora da página).

Assim, o texto de um artigo precisa ter algumas características específicas, mas o tempo de carregamento de uma página, bem como sua navegabilidade também conta para o ranqueamento no resultado das buscas.

Para que você compreenda melhor como isso funciona, criamos uma dissecação da expressão abaixo. Siga cada conceito para entender como o google resolve qual página você verá primeiro, quando pesquisar um determinado assunto. seopa

GOOGLE SEARCH – Busca

Tudo começa com a busca, o Google é um prestador de serviços, podemos dizer que ele é um “ajeitador” de informações, para que as pessoas não fiquem perdidas quando quiserem saber algo.

O que isso quer dizer?

Que no momento que uma pessoa digita um termo qualquer na caixa de buscas do Google, ocorre um processo complexo que envolve rastreamento por algoritmos, cálculos matemáticos, palavras chave, imagens, conteúdo relevante, e mais uma série de coisas que são levadas em conta pelos robôs do buscador.

ENGINE – Mecanismo

Exatamente o que falamos acima, o Google possui vários algoritmos de rastreamento, o famoso “zoológico” que inclui Pandas e Pinguins (nomes dados para algoritmos do Google). SEOPA

E, são esses algoritmos, que definem quais páginas aparecerão primeiro no resultado das buscas. Para que eles façam o rastreamento e escolham, essas páginas precisam atender uma série de requisitos relevantes, que nem sempre são bem claros, aos olhos dos desenvolvedores de sites e produtores de conteúdo. SEOPA

Alguns requisitos são conhecidos e definidos claramente, mas mesmo que sua página atenda todos os eles, não é certeza que ficará em primeiro nos resultados das buscas, pois sempre existirão parâmetros que o próprio Google não revelará, nem sob tortura.

OPTIMIZATION – Otimização

Otimizar significa deixar melhorado, tornar mais fácil, encurtar o caminho. E é isso, basicamente que os donos de sites precisam fazer para aparecerem em primeiro nos resultados das buscas. SEOPA

Atender à maior parte dos requisitos conhecidos, para ranqueamento, é fundamental para que uma página possa ser vista por milhões de pessoas.

Ter esse tipo de visibilidade é primordial para a sobrevivência de qualquer tipo de negócio, seja virtual, ou físico. É mais ou menos, como diz a música do mestre Milton Nascimento: “A gente tem de ir aonde o povo está”.

É exatamente isso que sites, blogs, páginas de vendas, artigos, imagens, vídeos, e toda sorte de produção online, precisa fazer. Aparecer para o público.

Dentro dessa necessidade, qual a única coisa que é preciso fazer para aparecer em primeiro lugar nas buscas (a pergunta de um bilhão de dólares)?  SEOPA

AGRADAR o Google.

Os dois lados da moeda

Toda situação tem dois lados. Com SEO não é diferente, de um lado temos as exigências do buscador, e do outro, as necessidades dos donos de sites.

O que o Google deseja?

Como prestador de serviços, o Google quer apenas que seus clientes sejam bem atendidos e tenham uma experiência agradável quando fizerem uma busca. Por isso, ele faz com que os donos de sites que desejam aparecer, criem condições que atendam essa necessidade. SEOPA

Quando esses parâmetros não são cumpridos, ele simplesmente NÃO MOSTRA o site na primeira página das buscas.

Aparecer na primeira página faz toda diferença dentro de um negócio. São exibidos 10 resultados por página, se o seu site estiver entre os 5 primeiros, a chance de receber visitas gratuitas é muito grande. SEOPA

Imagine, pessoas visitando sua página sem você fazer anúncio, apenas porque trabalhou corretamente os parâmetros de SEO que o Google gosta e valoriza. Fantástico não é mesmo? SEOPA João Martinho

Donos de sites

Do outro lado da situação, temos os donos de sites que estão desesperados por um espaço nos cinco primeiros lugares, da primeira página do resultado das buscas.

Para conseguirem isso, eles precisam deixar suas páginas de acordo com os moldes que o Google determina. Se, alguma regra for quebrada, além do Google não mostrar essa página para ninguém, ainda cuidará para que ela não apareça nunca mais (penalização).

São inúmeros, os fatores que fazem um site aparecer na primeira página das buscas, alguns são bem conhecidos e outros são uma incógnita, mas deixar seu site ok com o que é conhecido, já é um grande passo para ficar bem ranqueado.

Como SEO é um tanto complexo, é importante que cada dono de página na web tenha, pelo menos, o conhecimento básico para não correr o risco de ficar sempre nas últimas posições das buscas.

O algoritmo do Google é atualizado constantemente e, ultimamente, está dando preferência a páginas que proporcionem boa experiência para seus usuários.

Existem inclusive, notícias de que o robô estará tão atualizado, que conseguirá distinguir conteúdo de qualidade de baboseira. Conheça o curso SEO Para Afiliados do João Martinho clicando aqui

O que são mini-sites e como funcionam

SEOPA

Mini-sites são endereços na web que, como o próprio diz, são pequenos, menores que um blog, ou portal de notícias.

A principal característica de um mini-site, é possuir informação acerca de um único assunto e, muitas vezes, falar apenas de um produto que resolve um problema de um público alvo específico.

Esse tipo de página existe há muito tempo nos EUA, mas chegou recentemente ao Brasil e, de uma hora para outra, o foco de donos de páginas web e pessoas que trabalham no mercado de afiliados é construir esses mini-blogs, como também são conhecidos.

Pensando no trabalho que existe para manter um blog no ar, possuir vários mini-sites pode ser a melhor solução para fazer vendas no chamado “piloto automático”.

Como se trata de publicações, na maioria das vezes, de apenas uma página, o trabalho é criar o conteúdo uma única vez e publicar. Já um blog precisa de atualizações e de toda uma série de outras ações para gerar resultados.

Mini-sites ou “money-sites”

A expressão mini-site é brasileira, nos EUA os mini-blogs que vendem são chamados, convenientemente de “money-sites” (sites de dinheiro), pois quando bem otimizados, são mesmo uma máquina de vendas.

Independente da denominação, a finalidade de um mini-site é gerar dinheiro. Por isso tornou-se a forma preferida de trabalho dentro do mercado de afiliados. É muito mais fácil ranquear um mini-site do que um blog inteiro.

Com a construção de mini-sites, um afiliado pode promover vários produtos em nichos diferentes, e fazer o trabalho em um tempo infinitamente mais rápido do que se criasse um blog voltado para um nicho específico.

Conseguindo ranquear vários mini-sites nos mecanismos de busca, as vendas começam a acontecer de forma orgânica (sem pagamento de anúncios). SEOPA JOÃO MARTINHO SEO PARA AFILIADOS

Conheça o curso SEO Para Afiliados do João Martinho clicando aqui

Entenda o mecanismo de um mini site

O mini-site nada mais é que uma “ponte” para uma página de vendas, onde está sendo oferecido um produto qualquer.

Eles podem ser construídos com várias páginas (até 4), mas geralmente possuem uma única página de conteúdo, que contém informações sobre o produto que está sendo oferecido na página de vendas.

O assunto desses mini-sites compreende fazer um resumo do produto que será oferecido, incluindo no texto, quebra de objeções da audiência.

Ou seja, é literalmente, uma página tira dúvidas que tem a incumbência de convencer o público a ir para a página de vendas e efetuar uma compra.

Para isso o texto deve ser escrito de forma clara, antecipando e respondendo possíveis perguntas que esse público faria, eliminando a resistência e levando até a página de vendas.

5 passos para construir um mini-site de sucesso

Se você gostou do conceito dos mini-sites, veja abaixo 5 passos para criar um desses mini-blogs.

  • 1 – Nicho de mercado

O primeiro passo é encontrar um nicho de mercado que não seja muito concorrido. Isso é importante, pois quanto menos concorrência mais fácil é para conseguir ranquear bem nos mecanismos de busca. Diferente de um blog, aqui você não precisa gostar do assunto, muito menos conhecer sobre ele. Então, é importante procurar por assuntos que tenham uma quantidade razoável de público, para conseguir fazer vendas.

Muitas pessoas negligenciam a pesquisa de palavras chave e esse é um erro fatal na hora de criar o conteúdo do mini-site. Conhecer os termos exatos que as pessoas usam na hora de procurar pelo assunto é primordial para otimizar a página e fazer com que esteja apta a aparecer na primeira página das buscas. Faça uma pesquisa de palavras chave minuciosa, escolha algumas que sejam “cauda longa” e crie seu texto procurando colocar essas palavras e expressões dentro dele.

  • 3 – Produto

Para escolher um produto é preciso levar em conta alguns critérios. Todas as plataformas de infoprodutos possuem parâmetros de avaliação, para mostrar quais produtos estão vendendo mais, quais são mais queridos do público e quais fazem vendas mais rápido. Observe a página de vendas, tente saber se os depoimentos são reais, se puder compre o produto para ver se ele entrega mesmo o que promete. Tudo isso é importante para ter uma média de devoluções menor. Se o produto for ruim, ou mentiroso, as pessoas usarão o prazo da garantia e devolverão, e quando isso acontece suas comissões também são devolvidas.

  • 4 – Conteúdo

Faça um texto envolvente, fale sobre a dor principal do público-alvo, procure fazer essas pessoas se imaginarem com o problema resolvido e tudo isso graças ao produto que você está oferecendo. Não coloque falsas promessas no texto, não invente coisas que não estejam na carta de vendas original, crie curiosidade no público, mostrando apenas uma parte das informações importantes e fazendo as pessoas clicarem para irem ver o restante na página de vendas original. No final, faça uma chamada para a ação que mexa com a dor e mostre a solução.

  • 5 – Otimização

Não adianta fazer um mini-site lindo se ele não tiver condições de aparecer no resultado das buscas. Para que seu mini-blog tenha chance de ir para a primeira página, faça um bom trabalho de SEO “on page” (na página), como trabalhar com headlines que contenham a palavra chave, criar url amigável, usar cabeçalhos H2, H3, usar palavras chave relevantes, escrever um número de palavras acima do mínimo, usar parágrafos curtos. seopa

Esses são os passos básicos para construção de um mini-site, entre esses itens existem inúmeras tarefas que precisam ser feitas para que a página tenha um bom ranqueamento.

Apesar desses passos serem simples, é preciso executá-los corretamente, pois uma pesquisa errada de palavras chave, ou escolha de um produto que não resolva o problema do seu público alvo, podem colocar todo o trabalho de montagem do mini-site a perder.

Conheça o curso SEO Para Afiliados do João Martinho clicando aqui

16 dicas de SEO para otimizar sua página na internet

Dicas de SEO são sempre importantes para quem está começando no mundo digital e precisa otimizar suas páginas. A realidade é que existem tantos fatores, que podem influenciar em um ranqueamento, que qualquer detalhe pode ser importante.

Para sua página aparecer nos primeiros lugares no resultado das buscas, é preciso seguir uma série de regrinhas que, juntas, fazem com que seu site fique amigável aos olhos do algoritmo do Google.

16 dicas de SEO para ranqueamento nos mecanismos de busca

O que o Google gosta? Essa pergunta tem respostas parciais e, dependendo da experiência do empreendedor, pode ter respostas diferentes. São muitos os fatores que o Google leva em consideração na hora de mostrar um site em resultado de busca.

Veja abaixo, 16 dicas básicas de SEO para quem está começando a mexer com isso agora.

1 – Pesquisa das palavras-chave

Fazer uma boa pesquisa de palavras-chave é o primeiro passo para otimizar seu texto. Usando as palavras e expressões que as pessoas usam quando vão procurar o que precisam, você estará mostrando ao Google que tem conteúdo para aquele tipo de pesquisa.

2 – Conteúdo de qualidade

Existe uma polêmica muito grande a respeito da relevância do conteúdo de qualidade para ranqueamento. Alguns especialistas dizem que é importante, outros dizem que não. O fato é que, como o Google quer criar uma boa experiência para seus usuários, os sites que tem conteúdo mais informativo, acabam oferecendo essa experiência, enquanto que os que possuem apenas técnicas de link building podem ficar com um “tempo de permanência” (o tempo que as pessoas passam lendo o conteúdo do seu site) curto, e isso é um parâmetro ruim para o Google.

3 – Densidade das palavras chave

Alguns gurus dizem que 1,0% de densidade é bom, outros indicam até 1,5% e outros menos que 1%. O fato é que abusar do uso da mesma palavra chave durante o texto pode caracterizar super otimização, ou seja, o Google entenderá que aquela quantidade está demais e, ao invés de subir, poderá descer seu site. Em um texto de 500 palavras, usar umas 4 vezes a palavra chave principal, está ótimo. Procure valorizar o texto usando termos relevantes, e também as pesquisas encontradas na busca rápida do Google.

4 – Quantidade de palavras no texto

Outro ponto que levanta questionamentos. Textos longos, ou textos curtos? Tudo isso depende do assunto. Melhor ter um texto pequeno que entregue conteúdo para o visitante, do que ter um texto grande enchendo linguiça. O assunto do seu artigo determinará o tamanho dele, mas via de regra, procure fazer textos com mais de 300 palavras.

5 – Link de saída para outra página

Esse é um dos pontos apontados pelo plugin de SEO da Yoast, para quem tem blogs no wordpress.org. É preciso deixar um lugar de saída do seu artigo, o leitor precisa ter como sair da sua página quando ele desejar. Então este pode ser sim, um fator importante de SEO.

6 – Categorias

Divida os assuntos do seu blog em categorias específicas, para ficar mais fácil do Google achar seus posts (relacionado ao sitemap). Isso também ajudará no quesito navegabilidade, que mostraremos mais abaixo.

7 – Mídias Sociais

É importante ter páginas nas redes sociais para compartilhar seu blog e artigos. Quanto mais compartilhado seu material, mais o Google vai entender que é um bom conteúdo para mostrar aos usuários.

8 – URL dos artigos

Se o seu blog, ou página, é em WordPress, procure deixar a opção de criação de url cadastrada como “título do post”. Isso fará com que a url do seu artigo tenha uma aparência limpa e que explique um pouco do que o leitor encontrará. Evite que suas url´s fiquem com os horrorosos caracteres e números que são o padrão do WP.

9 – Imagens

Todo artigo precisa de imagens para permitir uma leitura mais agradável. Não esqueça de salvar todas elas com sua palavra chave no nome, e também preencha a tag “alt” com uma descrição que contenha essas palavras.

10 – Vídeos

Artigos que possuem vídeos embedados (que rodam direto no artigo, sem o usuário precisar ir para o youtube) ficam melhor otimizados. Escolha vídeos relevantes, e que tenham haver com o assunto de seu post.

11 – Link Building

Traduzindo significa “Construção de ligamento”, uma prática que todo dono de mini-site, ou blog precisa fazer. Quanto mais links existirem apontando para seu site, maiores as chances dele aparecer na primeira página do Google.

12 – Tags H2, H3, H4

Dividir o texto com sub-cabeçalhos ajuda a separar o assunto e melhora a visibilidade do texto. Para ajudar ainda mais o SEO, use os termos da busca rápida do Google em cabeçalhos H2.

13 – Navegabilidade

Separar o blog em categorias, criar um menu fácil de entender, colocar os posts mais recentes na side bar e mostrar os posts relacionados logo abaixo. Todos esse itens ajudam o usuário navegar melhor no seu site. O Google AMA isso.

14 – Responsivo

Procure sempre ter um tema que se adapte a todos os dispositivos. Esse também é um fator que o Google considera muito na hora de ranquear.

15 – Tempo de Carregamento

Deixe suas páginas bem leves, para que abram com facilidade quando clicadas. Algumas pessoas não têm paciência de esperar uma página que demora carregar e saem do site. Essas saídas rápidas deixam um rastro desagradável aos olhos do Google.

16 – Link Juice

Diferente do link building que vem de fora da sua página, o link juice é a ligação feita entre posts relacionados dentro do seu blog. Se o assunto se complementar em textos diferentes, procure mostrar isso ao usuário criando links durante seu texto. Essa navegação agradará o leitor e permitirá que ele fique mais tempo lendo seu blog, o que mostrará ao Google que seu conteúdo é bom e merece ser mostrado.

Conheça o curso SEO Para Afiliados do João Martinho clicando aqui